Nebulosa

A ficção científica e a fantasia vistas deste lado da periferia e suas memórias.

Tomar as dores de …

Para que não fique qualquer dúvida no ar, apesar de um tal Anton Stark (curioso pseudónimo) se estar a meter onde não é chamado e se arreigar o direito de afirmar «… mas nós não vamos deixar perturbar a Con.», como se soubesse do que fala ou fosse membro da organização, assim como fiquei sem saber quem são, os “nós”. A seguir reproduzem-se os comentários proferidos no FB.
Apresentados os mesmo, quero sublinhar que é admirável o excelente vocabulário e domínio da língua que demonstra caro AS e que não me interessa minimamente que o JB vá ser ou não vosso autor. Isso é assunto que apenas diz respeito a si «na medida de editor» de «projecto emergente». Também a si apenas diz  respeito o facto de o seu «projecto emergente» ir publicar um livro seu, o que é também de realçar, sobretudo depois de ter lido as suas inflamadas opiniões no grupo Escritores Emergentes, no FB, sobre as vanity press, e agora ver o seu projecto editorial «emergente» ser quem vai publicar um livro seu, livro esse que irá ter «lançamento oficial dias 29 e 30 deste mês, no Porto, durante a EuroSteam Con.».

Certamente que muito disto explicará o que escreveu. 

Muito me apraz saber que «note-se que o grito de guerra não está, neste momento, a partir do João.». Receio imaginar o alcance de frases como a anterior ou as seguintes: «… proteger um dos meus autores do que quer que possa acontecer. Não é desculpá-lo, é protegê-lo.» ou esta «correndo o risco de o chatear não só a si, senhor Holstein, mas também ao João, pela forma admitidamente condescendente como vou dizer isto: se os meninos querem brigar…», pois corria o risco de ver nelas alguma espécie de ameaça. Prefiro imaginar que são apenas fruto de um problema de formulação (como em: «… se os meninos…» que me lembrou logo “se os jovens”, quando entramos no barbeiro) de um fan do JB que não se conseguiu controlar.

Uma coisa é certa a sua opinião e ou vontade em nada concorrerão para alterar o futuro.

Apesar de acreditar que o JB nada tem a ver com isto, não posso deixar de lhe lembrar o provérbio:
Fia-te na Virgem e não corras …
Anúncios

Setembro 11, 2012 Posted by | debates e discussões, disparates, EuroSteamCon, Parnaso, Porto, Science Fiction | 8 comentários

Por cá mais "pau" em Filipe Faria

 
Depois do “bate boca” esgrimido nos blogs Blade Runner, I Dream in Infrared e The Tale of the Bamboo Cutter, com suas “idas e vindas”, mais a mãozinha que chegou de Efeitos Secundários, já cá faltava mais uma alfinetada ao fantástico português que não gostam, corporizado no Filipe Faria, a propósito de uma artigo publicado no suplemento Ípsilon do Jornal Público e reproduzido no site da editora do autor referido.

O que me espantou não foi a continuada necessidade de falar de FF, mas esta afirmação: “Não há maior ofensa para o género fantástico que a recusa em admitir o potencial criativo da espécie humana, (até aqui a coisa ia indo) ofensa cuja última e mais pública manifestação se traduziu numa recusa peremptória de um certo autor lusitano em introduzir o elemento da pólvora no seu universo fantástico, como se a liberdade da invenção se pudesse recusar aos personagens e o mundo real não reclame para si a capacidade de mudar.”
Será que um autor não pode decidir o que quer ou não incluir?

Junho 27, 2011 Posted by | Blogs, debates e discussões, Fantasia, fantasy, Filipe Faria, Portugal | 2 comentários