Nebulosa

A ficção científica e a fantasia vistas deste lado da periferia e suas memórias.

O Despertar da Magia

O Despertar da MagiaAutor: George R.R. Martin Data de Publicação: 2008 Editora: Saída de Emergência Páginas: 416 ISBN: 9789896370480 Sinopse

Quarto volume de As Crónicas de Gelo e Fogo, a saga de fantasia mais vendida, elogiada e premiada dos últimos 50 anos, e a única obra de fantasia a conseguir o primeiro lugar do Top do New York Times.Esta é uma saga de grande fôlego, que vai buscar à realidade medieval a textura e o pormenor que conferem dimensão e crueza a um universo de fantasia tão bem construído que faz empalidecer a Terra Média de Tolkien. Martin é um especialista na manipulação das expectativas dos leitores e, profundo conhecedor do género, não deixa de estender sucessivas armadilhas com as quais desarma os tropos que o leitor pensa reconhecer a cada página. O épico de fantasia que toda a Fantasia Épica gostava de ser.

Para quem ainda não conhecer esta série – As Crónicas de Gelo e Fogo – estamos a falar de uma das séries com mais sucesso nos últimos anos, alguns chegam mesmo a compará-la a O Senhor dos Anéis do J.R.R. Tolkien. Obviamente isto é discutível, mas o que se pode dizer com certeza é que é uma belíssima obra que tem cativado milhões por todo o mundo, uma obra de fantasia numa época medieval, com um enredo que se baseia em casas senhoriais e em lutas pelo poder e pelo reino. Numa primeira análise e até ao final do segundo volume, podemos dizer que se trata de uma obra passada na época medieval, sem que se identifique o território onde esta se desenrola, mas Martin introduz os dragões no fim o que nos remete para uma obra de fantasia.As traduções de cada livro estão a dar origem a dois volumes na edição portuguesa. O autor neste momento acaba de editar o quinto livro da série que será composta por sete, por cá temos 8 livros publicados pela Saída de Emergência, onde a primeira parte do quinto livro saíra no dia 9 de Setembro.Recentemente o primeiro e segundo livro, da edição portuguesa, foi adaptada para televisão dando origem a 12 episódios daquela que será a primeira série, já exibida nos Estados Unidos e que é bastante fiel à obra que lhe está na origem, apesar de terem sido feitas alterações para melhor adaptar e fazer funcionar a história no pequeno ecrã.Em o Despertar da Magia (quarto livro na edição portuguesa), segunda parte do livro do Fúria dos Reis no original, o enredo centra-se nas batalhas que se travam por todo o reino. Com vários pretendentes ao trono os apoios das casas senhoriais vão mudando em função das melhores ofertas. A casa de Theon Greyjoy assumirá uma importância crescente neste livro, assim como a própria personagem terá pela primeira vez capítulos dedicados a ele. Tyrion Lannister é sem dúvida uma das personagens mais divertidas da série (funcionando como uma espécie de alter ego do autor). Catelyn Tully reforça a sua importância, demonstrando ser uma mulher impressionante que tem aqui um duplo papel, de mulher e mãe que tudo fará para apoiar os seus filhos. Catelyn toma Brienne of Tarth como sua cavaleira, outra personagem forte e com características pouco comum. No norte Bran Stark recebe visitas e faz novas amizades começando a descobrir que os sonhos que tem, são muitos mais que meras lucubrações do inconsciente.A Patrulha da Noite avança para lá da muralha para descobrir que mistérios rodeiam quer os outros quer os selvagens. Jon tal como Sam vão na expedição, protagonizando um sem números de aventuras que passarão a ser o dia a dia dos jovens patrulheiros.

Anúncios

Setembro 5, 2011 Posted by | EUA, Fantasia, fantasy, George R. R. Martin, MGL, Portugal, SdE | Deixe um comentário

O Tempo dos Duendes

O Tempo dos Duendes Autor: Clifford D. SimakData de Publicação: 1969Editora: Livros do BrasilPáginas: 181 Sinopse

Peter Maxwell volta de uma viagem a outro planeta para descobrir que um duplo seu tinha morrido uma semana antes, enquanto ocupava o seu lugar, e ele é informado que essa estranha situação pode ser devido aos Rodadores, extraterrestres que disputam a galáxia com os humanos. Quando retorna à universidade onde habita, o seu carro é enfeitiçado por génios e cai no reserva dos duendes, onde encontra O’Toole um grande amigo dele duende.Uma historia onde se encontra duendes, fadas, extraterrestres, tigres-dentes-de-sabre, homens de Neanderthal, fantasmas, além de Shakespeare trazido do passado para uma conferência literária.

Um livro bastante divertido, povoado de todos os seres a que nos habituamos nas lendas e nas histórias encantadas. Neste mundo do futuro, todos esses seres existem, ou melhor são descobertos e aceites, vivendo todos em harmonia. A personagem principal após uma viagem espacial a outro planeta, na tentativa de encontrar dragões, descobre que um duplo seu voltou mais cedo e que morreu pouco depois de chegar à Terra. Vários amigos deveras estranhos vão ajudá-lo a descobrir o que terá acontecido. Gostei especialmente do tigre-dente-de-sabre, fiquei com vontade de arranjar um. heheheheNão se trata de uma obra prima, é contudo divertido, e com algumas ideias muito boas.

Setembro 2, 2011 Posted by | ciencia ficción, Clifford D. Simak, Colecção Argonauta, ficção científica, Livros do Brasil, MGL, Portugal, Science Fiction | Deixe um comentário

A sabedoria dos mortos

A sabedoria dos mortos
Rodolfo Martinez

“Durante a investigação de um estranho caso de suplantação de personalidade, o famoso detective de Baker Street vê-se envolvido numa intriga feroz entre duas seitas luciferinas – o lendário Amanhecer Dourado e a franco-maçonaria egípcia – pela posse do livro mais poderoso alguma vez escrito, o livro que abre as portas do próprio Inferno: o tenebroso e amaldiçoado Necronomicon.

Rodolfo Martinez coloca frente a frente dois dos grandes mitos literários de todos os tempos: o intelecto de Sherlock Holmes e a imaginação de H. P. Lovecraft. O resultado é uma narrativa apaixonante que poderia estar assinada pela própria pena de Sir Arthur Conan Doyle.”

A Sabedoria dos Mortos traz-nos novas historias de Sherlock Holmes, desta vez com um toque de irreal e do imaginário. O livro é composto por 3 historias: “A Sabedoria dos Mortos”, “Desde a Terra mais além do Bosque” e “A Aventura do Assassino Fingido”.

Nas duas primeiras historias o autor tem uma ideia engraçada, não original, mas que consegue desenvolver com algum interesse. No primeiro caso Sherlock Holmes enfrente um antepassado de Lovecraft (possivelmente avô) que tenta roubar o famoso Necronomicon, no outro caso Sherlock Holmes enfrenta Dracula com a ajuda de Van Helsing o Dr. John Seward.
Por um lado para quem não conhecer Lovecraft e todo o mundo lovecraftiano, o primeiro conto permite-nos sentir um ligeiro toque desse mundo de terror. Misterios que ficam sem resposta, referencia ao Livro dos Mortos designado por Necronomicon. Pequenos seres malignos com poderes sub-naturais, sem nunca sair do mundo de Holmes. Por outro lado para quem gosta de Sherlock Holmes terá aqui hipótese de quase rever Holmes em mais algumas investigações.

O autor peca por tornar a acção demasiado lenta no caso da primeira historia. Rodolfo Martinez perde-se no desenvolvimento da acção em pro do relacionamento de Holmes e do Dr. Watson. Esta tentativa de desenvolver o relacionamento de ambos faz as personagens afastarem-se um pouco das personagens a que Arthur Conan Doyle nos habituou.
O segundo conto é bastante corriqueiro, sem nada de novo nem extraordinário, mas que no meu caso me agradou mais, por envolver o Dracula. O terceiro conto, é provavelmente o que mais se aproxima do verdadeiro Sherlock Holmes.

No livro em si, o que me deixou confusa foi a aversão do autor ao Arthur Conan Doyle, pois o Rodolfo Martinez introduz o Conan Doyle como personagem no primeiro conto, caracterizando-a bastante negativamente, o que não joga a favor de Rodolfo Martinez.

Agosto 7, 2011 Posted by | Asturias, Espanha, Fantasia, fantasy, MGL, Rodolfo Martinez | 1 Comentário

Drácula Libertado – Brian Aldiss

Drácula Libertado

Autor: Brian Aldiss
Data de Publicação:
Editora: Caminho
Páginas:
ISBN: 972-21-0907-3

“No relato que se segue – em que ambos sobressaímos – há terror, horror, maravilhamento e algo que inominável. Uma espécie de nostalgia por aquilo que nunca se experimentou.

Neste livro do Brian Aldiss, nº 165 da extinta colecção de ficção cientifica da Caminho, vamos encontrar uma história de vampiros, e desenganem-se os que pensarem, que estamos perante mais uma história de vampiros. Nananana!!! Isto é a sério, mesmo a sério. Vampiros maus que comem, devoram e brincam com a comida – que são os humanos, entenda-se. Vampiros que quando querem algo apoderam-se do que pretendem, e usam-o e mesmo assim invejam em parte os humanos. Não são vampiros que se apaixonam e respeitam a raça humana, porque não precisam de o fazer.

Por outro lado temos os humanos que não ficam doidinhos por serem vampiros, nem estão dispostos a dar o pescocinho ao apaixonado para fazer bom sexo. Os humanos, os poucos que conhecem a existência dos vampiros, tem terror e desejam ardentemente acabar com tal perigo, pois sabem que qualquer um desses seres sem alma e sem raciocínio muito complexo, será um perigo para todos as pessoas que conhecem e amam.

A história tem várias ideias excelentes. O romance inicia-se com a descoberta de duas sepulturas pré-históricas, encontradas no Utha e a comunidade cientifica fica em polvorosa por os testes situarem os ossos com uma idade superior a 65 milhões de anos. Muito antes de qualquer ser humano ter caminhado sobre a terra.
Durante as descobertas um comboio fantasma visita as sepulturas e dois dos cientistas entram no comboio (que se encontra repleto de vampiros) e descobre que está numa máquina do tempo – que é o comboio.

Após entrar no comboio, uma das personagens principais, pára o comboio no final do séc. XIX e conhece o Bram Stoker o criador do famosos romance Drácula. A partir deste ponto inicia-se uma luta contra aquele que pretende aniquilar toda a humanidade – Drácula.
Mas o livro está cheio de pormenores muito engraçados, desde os já conhecidos e discutidos paradoxos temporais, até à explicação do aparecimento dos vampiros, que achei especialmente interessante. Durante todo o romance a personagem principal debate as suas crenças, que até aí são puramente cientificas. Com a descoberta  dos vampiros, ele não pode negar a possibilidade da existência de Deus, já que perante ele, tem a prova viva da “existência do mal”.

Agosto 3, 2011 Posted by | Brian Aldiss, ciencia ficción, ficção científica, MGL, review, Science Fiction | Deixe um comentário

Piscina Livre – André Carneiro

Piscina Livre

Autor: André Carneiro
Data de Publicação: 1980
Editora: Editora Moderna
Páginas: 133
ISBN:

André Carneiro é considerado um dos mais importantes escritores e crítico de Ficção Científica no Brasil, foi através da sua obra que a Ficção cinetífica ganhou notoriedade no exterior. Não só com a sua prosa, mas também com a sua poética, mas sem nunca abandonar a dedicação em outras artes. (…)
Seu romance “Piscina Livre”, traduzido na Suécia, alcançou sucesso critico. A.E. Van Vogt (USA) o comparou a Kafka e Albert Camus. Também Alcântara Silveira afirmou que conseguia a mesma “atmosfera” de Kafka de “A Metamorfose”. “A Dictionary of Contemporary Brazilian Authors” afirma que escreve “a mais original F. C. do Brasil”.
André Carneiro, galardoado internacionalmente, é considerados por vários críticos como um dos mais notáveis escritores brasileiros de ficção cientifica. Nesta Piscina Livre, uma utopia futurista erótica, é permitido às mulheres usufruir da sua sexualidade, com múltiplos parceiros ou recorrendo às “piscinas livres” com andróides criados especificamente para esse fim.
André Carneiro, consegue criar em poucas paginas um mundo real e pleno, sem falhas e cheio de pormenores que o tornam verdadeiro. Uma obra que devido a sua forte componente de termos científicos e da sua excelente estruturação, nunca leva o leitor a achar que se trata de uma obra de cunho erótico apenas.
Um romance/novela que alguns poderão considerar como sendo feminista, outros poderão caracteriza-lo como sendo uma critica social contra o racismo. Aborda de um modo inteligente e original ambos os temas, assim como toca no eterno tema do amor, da escolha e da ambição.
Original.

Agosto 1, 2011 Posted by | André Carneiro, Brasil, ciencia ficción, ficção científica, MGL, review | Deixe um comentário