Nebulosa

A ficção científica e a fantasia vistas deste lado da periferia e suas memórias.

A noite do castello. Os ciumes do Bardo, poemas, seguidos da Confissão de Amelia – António Feliciano de Castilho (1836)

No seguimento das três mensagens anteriores, aqui ficam algumas notas a “A noite do Castello”.

http://purl.pt/28
Para apanhar a obra, clicar na imagem.
Interessante é o facto de ter dado origem a uma ópera de Carlos Gomes,
estreada em 4 de setembro de 1861,
no Teatro Lírico Fluminense (provisório) do Rio de Janeiro
Anúncios

Novembro 23, 2013 Posted by | António Feliciano de Castilho, Ópera, Brasil, Carlos Gomes, Fantástico, poesia, proto-história da fc e f portuguesa | Deixe um comentário

Obras do Diabinho da Mão Furada, obra anónima do século XVIII, por vezes atribuída a António José da Silva, o Judeu (Rio de Janeiro, 8 de Maio de 1705 – Lisboa, 19 de Outubro de 1739)

Um ensaio sobre a obra e o autor,
publicado nos “Anais do SILEL. Volume 1. Uberlândia: EDUFU, 2009,
de Kênia Maria de Almeida Pereira

Sobre o Diabinho ou Fradinho da mão furada, ver a entrada na
Fantastipedia

Novembro 22, 2013 Posted by | António José da Silva, Brasil, Diabinho da Mão Furada, Fantástico, Fradinho da mão furada, o Judeu, proto-história da fc e f portuguesa | Deixe um comentário

Cronica de Palmeirim de Inglaterra de Francisco de Moraes

Mais umas notas para uma possível ou talvez não, proto-história da ficção científica e fantasia portuguesa e também uma forma de “municiar” o Projecto Adamastor, para que este possa continuar a dar a conhecer e tornar acessíveis obras portuguesas.
http://purl.pt/14872/3/#/0
Aqui fica a
[Primeira [-segunda] parte de Palmeyrim de Inglaterra dirigida ao serenissimo principe Alberto, cardeal Archiduque de Austria… Chronica do famoso e muyto esforçado caualeyro Palmeyrim de Inglaterra, filho del Rey Dom Duardos no qual se contem suas proezas & de Floriano do Deserto su ermão & do Principe Florendos filho de Primalião / composta per Francisco de Moraes
e para as apanhar basta clicar na capa e assim acederao ficheiro guardado na
Biblioteca Nacional Digital
Aqui fica também o link
para a dissertação
“O amor nos livros de cavalarias – O Palmeirim de Inglaterra de Francisco de Moraes: 
edição e estudo”,
apresentada para a obtenção do grau de 
Doutor em Línguas e Literaturas Românicas,
especialidade de Literaturas Românicas Comparadas,
por Margarida Maria de Jesus Santos Alpalhão
Para complementar a informação sobre Francisco de Moraes, ver folhas 14 a 17, do

Diccionario bibliographico portuguez: A-Z – Tomo Terceiro – Innocencio Francisco da Silva

Novembro 21, 2013 Posted by | Francisco de Moraes, Palmeirim de Inglaterra, proto-história da fc e f portuguesa, Romances de cavalaria | 2 comentários

Romances de cavalaria – Amadis de Gaula, do portuense Vasco de Lobeira que morreu em 1403 [alguns atribuem a autoria ao seu antepassado João de Lobeira (c. 1233 – 1285), autor de "o lai de Leonoreta"]

Exposição do Dr. José Valle de Figueiredo na Biblioteca Municipal de Vale de Cambra.
 “Quando no D. Quixote se resolve queimar todos os livros de cavalaria, acusando-os de serem prejudiciais, dos pouquíssimos que se poupa ao fogo é o que traz a história de AMADIS DE GAULA, de autoria controversa mas que a maioria dos especialistas atribui ao portuense Vasco de Lobeira, que tê-la-ía escrito no século XIV. Editada em Espanha nos finais de 1508, após andar manuscrita muitos e muitos anos, podemos considerar que ainda estamos a tempo de comemorar os quinhentos anos dessa publicação. Tendo-se tornado o modelo das novelas de cavalaria que se seguiram, propomo-nos celebrar a efeméride, inserindo a evocação das acções e dos amores do Cavaleiro no contexto da sua época, relacionando-o com a história e a vida do seu tempo. Centrada na evocação da vida de um cavaleiro medieval emvários dos seus aspectos, a exposição poderá funcionar como suporte didácticoda época, numa transversalidade que contemple a Literatura, a História e a Música, assinalando-se aqui, que Compositores como Lully, Haendel, Bach, Massenet e o português Ivo Cruz, dedicaram obras à figura do celebrado Cavaleiro. Refira-se, entretanto, que o grande Poeta Afonso Lopes Vieira “reconstituiu” o romance de Amadis em versão portuguesa moderna. Com prefácio de Carolina Michaelis de Vasconcelos teve várioas edições, a primeira das quais em 1922, e a última em 2003″. José Valle de Figueiredo 
Notas para uma possível ou talvez não, proto-história da ficção científica e fantasia portuguesa.
 Imagem obtida e consultável em The Digital Scriptorium
e cujo original se encontra na  Bancroft Library na Universidade da Califórnia, em Berkeley, USA



Para informação complementar ficam aqui dois links:

Amadis of Gaul, Volume 1 – Vasco de Lobeira,Garci Rodríguez de Montalvo

A literatura portuguesa – Massaud Moisés (pag. 46 e 47)

 O romance de Amadis, composto sobre o Amadis de Gaula de Lobeira por Affonso Lopes Vieira

  

Alguma bibliografia sobre o tema:

Massaud Moisés. A literatura portuguesa através dos textos. São Paulo: Cultrix, 1997

João Gaspar Simões. História do romance português. Lisboa: Estudios Cor, 1967

Novembro 20, 2013 Posted by | Amadis de Gaula, Biblioteca Municipal de Vale de Cambra, Dr. José Valle de Figueiredo, proto-história da fc e f portuguesa, Romances de cavalaria, Vasco de Lobeira | Deixe um comentário